segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Limites


Até que ponto o ser humano pode chegar? Até onde estará decidido ir e se arriscar? Continuar a cultivar o egoísmo e individualismo?
São perguntas sem respostas pois somos todos fadados a viver em um mundo egoísta, podemos começar comprovando com nossa sociedade, ainda dividida por camadas, onde alguns possuem muito e outros nada.
E assim nascemos egoístas, crescemos e morremos, alguns amadurecem e pessoas que se doam pelo próximo é quase inexistente. O que diferencia são as intensidades, conviver sem o egoísmo é quase impossível porque o amor próprio existe e este se manifesta em algumas horas dando a impressão de egocentrismo, mas como podemos crucificar alguém se não há aquela certeza do que se passou para ser taxada, as vezes é apenas amor próprio.
Pessoas inconvenientes realmente existem, sem limites e totalmente individualistas e são dessas que precisamos nos afastar, todos, sem excessão precisam do amor do próximo, é parte do nosso sistema, amar e ser amado, é um dos desejos mais intensos dentro de qualquer pessoa.
Com o passar do tempo vamos conhecendo pessoas incríveis e outras nem tanto, o certo e errado são conceitos criado por nós mesmos, na realidade não existem dois lados, apenas benefícios e malefícios para alguém, pois o que é bom para uma pessoa pode não ser bom para outra, então criamos conceitos bons e conceitos ruins sobre diversas situações, atitudes ou objetos e taxamos a todos.
Limitados e irracionais, seguimos a procura de respostas para tudo, porém nem tudo se responde, a vida é uma incógnita assim como nós, não podemos comparar a um conto de fadas, onde o final é sempre feliz, pois o amanhã é um mistério, podemos estar como podemos não estar. Só nos resta aproveitar e viver cada segundo da melhor maneira possível, sem ligar para as atitudes alheias, pois situações ruins existirão ao monte, o que mudará será a forma como irá lidar com cada uma.


Sem comentários:

Enviar um comentário