domingo, 9 de julho de 2017

Por mais dias, porque a hora já foi.

Foi com a inspiração daquele que me ensinou tantos outros amores que percebi que precisava escrever. Escrever sobre alguém. Escrever sobre o sentimento para com esse alguém. Escrever para deixar ir. Escrever para não sucumbir em meio a tanto querer sem poder. Porque afinal escrever me faz esquecer o medo. O seu medo e o meu medo. O medo que blinda o ser humano, o medo que te faz recuar antes de saber se isso pode ou não te machucar. O mesmo medo que inconscientemente você me afastou. O mesmo medo que conscientemente eu quero te afastar. Medo que é fruto do passado, mas que pensa no futuro. Medo que nos faz esquecer que essa vida é só uma e que não precisamos temer quem nos faz bem. Alias a vida é simples não? E sobre simplicidade a gente entende, e como entende. A gente se entende no fim das contas, porque explicar sobre a vida é parte do cotidiano. Eu te escuto. Você me escuta. Ninguém se julga. E eu acho que falo porque a primeira vez que toquei em sua mão eu vi amarelo. E não consegui esconder de você o que o amarelo significava. E depois daí eu pude ser eu, de todas as maneiras possíveis. Pude ser um olhar despreocupado e uma brisa leve que seguia sem amarras, uma brisa livre. E por ser livre que me apaixonei. Você não entende o porque, mas eu te explico: porque a simplicidade e liberdade me encantam! Mas sentir é complicado, sentir de longe é mais complicado ainda, sentir quando a outra pessoa não quer sentir é ainda mais difícil. Só que a vida é um grande Jair que gostava da Vera que gostava do Antonio, mas que pode virar um Jair que gostava da Vera e da Vera que gostava do Jair de um ano para o outro. O que quero dizer com tudo isso é que não vou colocar esse sentimento em um potinho e esperar que você possa sentir algo, ele vai existir por tempo indeterminado, ele pode existir até o fim do ano como se esvair no mês que vem. O que quero dizer é que enquanto eu senti-lo vou cuidar com muito carinho porque o caminho que esse sentimento trilhou foi simples e livre, foi encantador. E tudo bem se daqui alguns anos eu entrar num bar e lembrar do final de La La Land quando ver seu rosto. Porque no fim nos dois sabemos que foi importante. Importante para mim. Importante pra você. Obrigada.

Sem comentários:

Enviar um comentário