quarta-feira, 26 de julho de 2017

Talvez o mínimo seja pouco para mim;

A voz chega mansa no meio da tarde, vem sorrateira e se esconde atras do seu tímpano, mas sabe bem o momento correto de dizer que você não é capaz. Não é capaz de seguir adiante. E você se rende as vezes, deita no travesseiro em meio as lembranças e cai no conto da nostalgia. Mas o mundo é feito de sensações presentes, de proposições futuras, o mundo não é um substituto para o novo cd de um dos seus cantores favoritos. O mundo é mundo e ponto. Se você aceitar viver na nostalgia ira esquecer do brilho do sol entre as folhas e do tamanho da importância que estes exercem. Entretanto a mente vaga a procura de uma lembrança confortável, que faça rir só com a imagem construída em tons rosas e laranjas, seu corpo clama por um engradado de bebida, sua falta de nicotina grita para deixar seus nervos no lugar. E todos esses acontecimentos teimam em fazer parte do seu cotidiano porque a voz ainda persegue sua presa. Eu mesma. Você mesmo! Sabe o que deve ser feito quando ela chegar de mansinho? Mergulhe sua cabeça embaixo d'água até que o único som ouvido seja a água caindo pelo seu corpo. Porque no fim eu só quero que essa voz VÁ SE FUDER!

Sem comentários:

Enviar um comentário